terça-feira, 2 de outubro de 2012

Orelhões darão acesso à internet

29/09/2012 - Agência Estado, Anne Warth

Anatel busca nova função para os aparelhos, que têm sido cada vez menos usados.

Anne Warth, da Agência Estado

Um jeito discreto de ligar para os devedores

BRASÍLIA - Condenados à obsolescência após a popularização dos smartphones e a queda no preço dos serviços de telefonia móvel, os orelhões procuram um novo papel a desempenhar. Proposta em análise na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende transformá-los em transmissores de Wi-Fi para desafogar a rede 3G ou em pontos de acesso à internet com visor, para consultar dados como mapas, endereços e telefones.

Já existem orelhões com sinal de Wi-Fi em testes no Rio de Janeiro. A vantagem, destaca a conselheira Emília Ribeiro, da Anatel, é que a faixa de uso do serviço não está congestionada - ao contrário do 3G.

Caberia às concessionárias estabelecer uma forma de cobrança pelo uso desse serviço de telecomunicações. Também está em discussão elevar a quantidade de meios para pagamento da ligação, com o uso de cartão de crédito e moedas.

Outra proposta prevê a instalação de telas e visores nos orelhões, para que usuários possam, por exemplo, acessar catálogos de telefones e endereços ou procurar a localização de um restaurante.

"Seria uma forma de aumentar a inclusão digital no País e facilitar a vida de turistas brasileiros e estrangeiros", afirma Emilia Ribeiro. O desafio, ela reconhece, é o combate ao vandalismo, que danifica boa parte dos orelhões em todo o País.

"Os orelhões estão perdendo, rapidamente, a utilidade do passado. Mas eles estão lá, nas ruas, e devem servir para novas prioridades. Trata-se de um patrimônio público que não precisa ser construído, apenas modificado", disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Foi por essa razão que a Anatel decidiu ouvir a população e elaborar um estudo para tentar revitalizar o telefone público. A proposta recebeu mais de 200 contribuições, muito mais do que o órgão regulador costuma obter em audiências públicas sobre outros temas, sinal de que o assunto desperta a atenção dos usuários.

A intenção é aumentar o uso do orelhão das grandes cidades, onde existem 225 mil aparelhos, e tornar o negócio rentável às concessionárias, afirma a conselheira do órgão regulador e relatora da proposta, Emilia Ribeiro.

Interior

Os orelhões, porém, só lutam contra o desprestígio nos grandes centros. No interior, há locais que contam apenas com eles para que a população possa se comunicar. Nessas áreas se concentram 760 mil terminais de telefone público.

"Existem muitas áreas nas Regiões Norte e Nordeste que não possuem nenhum tipo de acesso à telefonia celular", afirmou a conselheira. Nas contas da Anatel, são 22.157 localidades em todo o País onde há aglomerados de habitantes, com conjuntos de casas e estabelecimentos comerciais permanentes.

"Nesses locais, as pessoas cuidam muito dos orelhões e, em alguns casos, até constroem cabines em volta deles para preservá-los, pois é a única forma de comunicação", afirmou.

A conselheira lembra ainda que em 25 mil localidades com menos de 100 habitantes - onde nem sequer há orelhões, pois as concessionárias não são obrigadas a instalá-los - os recursos arrecadados com o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) deveriam ser direcionados para este fim.

A proposta da Anatel e as contribuições dos usuários serão analisadas pela área técnica do órgão regulador e enviadas à Advocacia-Geral da União (AGU), que emitirá um parecer. As inovações serão votadas e aprovadas ainda neste ano pela Anatel.

sábado, 29 de setembro de 2012

BNDES aprova financiamento suplementar de R$ 2,3 bilhões à Usina de Jirau

28/09/2012 - BNDES

• Operação dará suporte à expansão do projeto, com aumento da potência instalada

O BNDES aprovou suplementação de recursos no valor de R$ 2,32 bilhões para a implantação da Usina Hidrelétrica Jirau, localizada no Rio Madeira, no município de Porto Velho (RO). Os recursos serão utilizados também para a instalação do sistema de transmissão associado, que ligará a usina à estação coletora.

O crédito adicional dará suporte à expansão dos investimentos em Jirau, que passaram para R$ 15,7 bilhões, representando aumento de R$ 5,1 bilhões em relação ao orçamento original de R$ 10,5 bilhões.

Com os novos investimentos, Jirau terá aumento de 450 MW na potência instalada da usina, com a implantação de seis unidades geradoras adicionais (passando de 44 para 50 unidades) e capacidade total de 3.750 MW.

O recurso suplementar se soma ao financiamento de R$ 7,2 bilhões contratado pelo BNDES em 2009. O financiamento do BNDES equivale a 60,8% do investimento total do projeto.


Enviado via iPhone

sábado, 25 de agosto de 2012

Claro inicia testes com 4G em três cidades brasileiras

22/08/2012 - Valor Econômico

Por Gustavo Brigatto

A Claro anunciou hoje que deu início a testes com a tecnologia 4G nas cidades de São José dos Campos, interior de São Paulo, em Búzios e em Parati, no Rio. As demonstrações vão contar com modens da chinesa Huawei e smartphones da americana Motorola. Segundo a Claro, a velocidade de acesso pode chegar a 100 Megabits por segundo (Mbps).

A infraestrutura da Claro foi montada pela Ericsson.

As frequências do 4G foram licitadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em junho. As operadoras precisam ter redes em funcionamento nas cidades-sede da Copa das Confederações até abril de 2013. Em entrevista ao Valor em junho, o presidente da Oi, Francisco Valim, afirmou que a companhia pode lançar o serviço em São Paulo até o Natal.

Gustavo Brigatto

terça-feira, 1 de maio de 2012

Governo aplicará R$ 32 bi em ações do PAC Mobilidade

24/04/2012 -Agência Estado

Os projetos contemplados pelo PAC Mobilidade Grandes Cidades levam em conta municípios com mais de 700 mil habitantes.

O governo federal investirá R$ 32 bilhões, dos quais R$ 22 bilhões de recursos próprios, em construção de 600 quilômetros de rodovias, 200 quilômetros de trilhos, 381 estações e terminais e a compra de 1.060 veículos para sistema sobre trilhos. A informação foi divulgada nesta terça-feira pela assessoria de imprensa do Ministério das Cidades. Os números deverão ser anunciados oficialmente pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, durante cerimônia do PAC 2 Mobilidade, no Palácio do Planalto.

Os projetos contemplados pelo PAC Mobilidade Grandes Cidades levam em conta municípios com mais de 700 mil habitantes. "Do total de R$ 32 bilhões investidos, já foram anunciados em outras oportunidades recursos para os metrôs de Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Fortaleza e a melhoria dos sistemas de transporte público de Recife e Rio de Janeiro", cita a nota. De acordo com o ministério, são 51 cidades beneficiadas diretamente. Os Estados e municípios que propuserem projetos terão 18 meses para entregar as obras prontas.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Governo destina R$ 32 bilhões para PAC Mobilidade Urbana em 18 estados

24/04/2012 - Agência Brasil


Dilma defende necessidade de ampliar investimentos na construção de metrôs
z o anúncio de investimento nesta terça
créditos: Wilson Dias

A presidente Dilma Rousseff anunciou hoje (24) os projetos selecionados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a área de mobilidade urbana nas grandes cidades. Ela defendeu a necessidade de ampliar os investimentos na construção de metrôs para dar mais agilidade e conforto aos usuários do transporte urbano.
 
“O Brasil tem que investir em metrô. Antes, as cidades não tinham condições de fazer isso porque era muito caro. Hoje, os governadores têm enorme dificuldade para construir metrôs com a cidade funcionando. É um duplo desafio”, disse a presidenta. "Além disso, temos que olhar pelo lado sustentável, garantir menos tempo de vida a ser perdido pelas pessoas em um transporte de menor custo e de melhor adequação ao meio ambiente”
 
Ao apresentar o que chamou de “matemática humana do projeto”, o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, reiterou que os canteiros de obras ligados a essa vertente do PAC vão gerar milhares de empregos. “Mas, além do novo traçado urbano, vamos deixar um legado muito importante se considerarmos  que hoje os brasileiros ficam quatro horas por dia no trajeto casa-trabalho”.
 
“Em muitas situações será possível fazer esse mesmo trajeto em apenas uma hora”, acrescentou o ministro. “Isso significa que, na vida, serão três anos que deixarão de ser desperdiçados. Tempo livre que poderá ser dedicado a descanso, estudo e para ficar com os seus”, completou.
 
O PAC Mobilidade Urbana vai destinar R$ 32 bilhões –  dos quais R$ 22 bilhões têm como origem recursos do governo federal – para projetos de metrô, veículo leve sobre trilho (VLT) e corredores de ônibus que beneficiam moradores de cidades com mais de 700 mil habitantes.
 
Entre as obras previstas estão a construção de mais de 600 quilômetros (km) de corredores exclusivos para ônibus, pelo menos 380 estações e terminais para esse tipo de transporte, além de 200 km de linhas de metrô e da aquisição de mais de 1.000 veículos sobre trilhos.
 
No total, serão beneficiados 51 municípios em 18 estados. Com isso, o alcance previsto pelo governo federal é 53 milhões de brasileiros. O prazo para a entrega dos projetos finalizados por estados e municípios é 18 meses a partir da publicação da seleção das propostas no Diário Oficial da União.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

18 projetos vão modificar a infraestrutura de transportes no Ceará

www.sinfer.org.br - Seja bem-vindo! Hoje é segunda-feira, 23 de janeiro de 2012  

 
Principal

Nossa História

Últimas Notícias

Sindicalize-se

Convênios

Fale com o Sindicato
 
 


       Nossa história

       Palavra do Presidente

       Conheça a diretoria

       Sindicalize-se

       Convênios

       Departamento Jurídico

       Acordos coletivos

       Legislação

       Jornal on-line

       Últimas notícias

       Alertas importantes

       Artigos

       Colônia de férias

       Galeria de fotos

       Notícias jurídicas

       Fale com o Sindicato

       Causos da Ferrovia



Enquete


Você acha que a COPA de 2014 deveria ser uma prioridade para nós brasileiros?


Não

Sim

22/01/2012- Diário do Nordeste

Além dos investimentos exclusivos, também há outros R$ 3,48 bilhões que beneficiarão o Ceará até 2014 com empreendimentos regionais.

O governo federal reservou para a área de transportes um investimento de R$ 2,16 bilhões no Ceará, através de 18 projetos exclusivos para o Estado. Entre estes, está a reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, que terá recursos de R$ 347,78 milhões pelo PAC 2, a serem utilizados até 2016. A obra, que estará com apenas 35% de sua execução concluída até a Copa do Mundo, ainda não foi iniciada. No próximo dia seis de fevereiro, a Infraero irá receber as propostas das empresas interessadas em participar do processo licitatório para a realização da primeira fase da obra, que ampliará a área dos atuais 38,5 mil metros quadrados para 117,6 mil metros quadrados, permitindo uma movimentação de até 11 milhões de passageiros por ano (hoje é de 6,2 milhões). A expectativa da Infraero é de que as obras comecem entre março e abril.

Dragagem

Dos 18 projetos exclusivos, sete estão em obras ou em execução, sendo seis ligados a rodovias e um a portos. Este último refere-se à dragagem (aprofundamento de calado) do Porto do Mucuripe, com recursos de R$ 31 mil ainda remanescentes, já que R$ 32 milhões já haviam sido empregados ainda do PAC 1. Também relacionados com o porto, duas obras estão em processo de licitação: a implantação de terminal para movimentação de contêineres, no valor de R$ 28,5 milhões, e a construção do Terminal Marítimo de Passageiros e a pavimentação/urbanização na área portuária do Porto do Mucuripe, no custo de R$ 149 milhões. O terminal de passageiros deverá ter suas obras iniciadas este ano e ser entregue em 2013. O novo equipamento irá contribuir para elevar a capacidade de receptivo de Fortaleza para a Copa do Mundo, com a atracação de cruzeiros.

Rodovias

A maior parte dos recursos exclusivos na área, no entanto, será destinada a intervenções em rodovias, somando R$ 1,62 bilhão até 2014. Entre estas obras, estão a duplicação das rodovias BR-020 e BR-222, com uma adequação de capacidade nesta última no entroncamento para o Porto do Pecém. Também há intervenções na BR-116 e a construção de uma ponte sobre o Rio Jaguaribe, na BR-304. Os valores de todos estes projetos, contudo, estão em revisão.

Transnordestina

Além dos investimentos exclusivos, também há outros R$ 3,48 bilhões que beneficiarão o Ceará até 2014 com empreendimentos regionais. Entre estes, o maior é a ferrovia Nova Transnordestina, que deverá envolver R$ 3,25 bilhões, com valores ainda em revisão. A ferrovia liga os portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco, ao sertão do Piauí.

De olho na copa

149 milhões de reais é o montante que será investido para a construção do terminal de passageiros do Porto do Mucuripe, em Fortaleza.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Dilma Rousseff sanciona Plano Plurianual 2012-2015

Com ênfase na área social e tendo como prioridade o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o programa Brasil Sem Miséria, o Plano Plurinual 2012-2015 (Lei 12.593/12) foi sancionado nesta quarta-feira (18) pela presidente Dilma Rousseff. O PPA, aprovado pelo Congresso Nacional em 20 de dezembro de 2011, corresponde ao planejamento de médio prazo do governo e define diretrizes e metas da administração pública federal para o próximo quadriênio.

O Plano prevê dispêndios totais de R$ 5,4 trilhões, além de R$ 102 bilhões em emendas, acrescentados durante a tramitação no Legislativo. A peça está estruturada em 65 programas temáticos divididos em quatro grandes áreas: Social, Infraestrutura, Desenvolvimento Produtivo e Ambiental e Especiais.

A área social aparece como destinação de maior parte dos recursos públicos (R$ 2,58 trilhões). O governo prevê, por exemplo, a inclusão de 495 mil domicílios rurais no Programa Luz para Todos; a expansão da internet banda larga para 40 milhões de domicílios; a inclusão de mais 800 mil famílias no Bolsa Família; a construção de 2 milhões de casas com o Minha Casa, Minha Vida e o investimento de R$ 18 bilhões em empreendimentos de mobilidade urbana nas grande cidades.

Economia

O PPA também leva em conta previsões macroeconômicas para os próximos anos. Segundo o texto analisado por deputados e senadores, o mínimo deve chegar, em em 2015, a R$ 817,97, um aumento de 31,5% em comparação com os atuais R$ 622, em vigor desde 1º de janeiro de 2012.

O método de reajuste do salário mínimo foi definido pela lei 12.382/11, segundo a qual o valor será reajustado, até 2015, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

A previsão é de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro chegue a R$ 6,1 trilhões em 2015, contra R$ 4,1 trilhões obtidos em 2011. Já a taxa básica de juros da economia (Selic) deve ter queda gradual, caindo a 8%, também em 2015.

Vetos

A presidente Dilma Rousseff vetou dispositivos dos anexos I e III da lei. Foram 17 iniciativas vetadas, incluídas em diferentes programas. Sobreposições de iniciativas, perda do objeto, custos fora dos valores de referência e até falta de estudos prévios de viabilidade técnica estão entra as razões dos vetos.

Revisão

Segundo o senador Walter Pinheiro (PT-BA), relator do PLN 29/11, que resultou na lei publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (19), o Congresso Nacional receberá anualmente relatório de acompanhamento da execução do Plano, que poderá ser analisado não só pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO), como pelas comissões permanentes das duas Casas.

O PPA vige do segundo ano do mandado presidencial até o fim do primeiro ano do mandato seguinte.

Parâmetros macroeconômicos previstos no PPA 2012-2015:

2012        2013      2014        2015

Salário mínimo (R$)622,73*     676,18    741,94      817,97

PIB (em trilhões) 4,51       5,00        5,53         6,08

IPCA acumulado 6,00         4,5          4,5          4,5

Taxa Selic (%) 10,5         11           9,5         8,00

Dólar (média) 1,80       1,72         1,74        1,77

* Valor já revisto e incluído no Orçamento de 2012. Inicialmente o PPA previa R$ 619,21.

Pontos do PPA 2012-2015 vetados pela presidente:

Iniciativas:

* Construção da Ferrovia Transcontinental de Vilhena (RO) a Boqueirão da Esperança (AC);

* Implantação da rede de fibra ótica no trecho de Macapá a Oiapoque;

* Adequação da BR-040;

* Construção do Rodoanel Sul de Belo Horizonte (MG).

Razões do veto: As Iniciativas em questão se sobrepõem a outras já previstas no PPA, não se justificando serem tratadas de forma separada.

Iniciativas:

* Implantação de infraestrutura para realização da Universíade de Verão 2017 no Distrito Federal.

Razões do veto: A escolha de Brasília para a realização do evento não se concretizou, portanto houve perda do objeto da iniciativa.

Iniciativas:

* Construção de novo porto em águas profundas no Estado da Paraíba;

* Implantação do novo porto na Cidade de Natal (RN);

* Construção do Arco Rodoviário Norte - BR-369 (PR);

* Construção do 2o Anel Rodoviário no Estado do Ceará - BR-116, BR-020 e BR-222;

* Construção de ponte interligando a BR-319 à Rodovia AM-070 no Amazonas;

* Construção do ramal Paraíba da Ferrovia Nova Transnordestina (EF-232/116/225);

* Construção e adequação de ferrovia (Maringá-Cianorte-Umuarama-Guaíra- Cascavel);

* Construção de eclusas no complexo do Rio Madeira;

* Construção de eclusa no Acre;

* Implantação de adutoras para distribuição das águas provenientes do PISF (Eixo Leste) nas regiões do Cariri, Brejo e Seridó;

* Integração das bacias do São Francisco com as bacias da Fronteira Seca do Piauí;

* Implantação da usina hidrelétrica do Ribeirão no Rio Madeira.

Razões do veto: São empreendimentos de grande porte, que não possuem estudos prévios de viabilidade técnica, econômica, ambiental e social necessários à sua implementação. O início de obras nessas condições aumentaria significativamente o risco de pulverização de recursos, de dilatação dos prazos de execução e de paralisação das obras.

Iniciativas:

* Adequação da BR-153;

* Adequação de estruturas de acostagem e de operação de cargas no Porto de Santana (AP).

Razões do veto: O custo total dos empreendimentos é inferior ao valor de referência necessário para individualização como Iniciativa, o que contraria o art. 10 do PPA.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Bom momento faz nordestinos voltarem à terra natal

13/01/2012 - R7

Melhora na qualidade de vida na região incentiva migração de retorno
Do Jornal da Record

Já se foi o tempo em que o sonho de todo nordestino era juntar dinheiro e se mudar para São Paulo, centro financeiro do Brasil. Se antes a maior dificuldade para deixar a cidade natal era ficar longe da família, hoje o desejo de quem está distante do lugar e das pessoas que deixou para trás é justamente o inverso.

O movimento de retorno de nordestino às suas cidades na região Nordeste do país nunca havia sido registrado com tanta força como agora. A pouca perspectiva de ascensão social em São Paulo, associada ao momento econômico favorável, torna o retorno para casa cada vez mais possível e viável.

Não são poucas as histórias de quem está feliz em fazer o caminho inverso, tampouco daqueles que já o fizeram e se deram muito bem na retomada de suas vidas no Nordeste, onde há cada vez mais investimentos na indústria e geração de emprego em diversas áreas.

É verdade que a expectativa de vida no Nordeste ainda é inferior à do Sul do Brasil, mas esse quadro está mudando. Saiba um pouco mais deste movimento migratório na série do Jornal da Record "O Novo
R7 Fotos: desconto de 25%. Clique aqui!